RKita – Contadores Associados | e-mail: contato@rkita.com.br

Salário mínimo pode ser de R$ 1.320 em 2023; entenda

Com a mudança, o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 44 neste ano.

O salário mínimo do país pode ir a R$ 1.320 neste ano. O novo valor representaria um aumento de R$ 108 em relação ao piso nacional do ano passado, de R$ 1.212 ou alta de quase 9%. Com a mudança, o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 44 neste ano.

No mês passado, o governo federal publicou no Diário Oficial da União uma Medida Provisória que previa o aumento do piso nacional para R$ 1.302. Porém, o Congresso Nacional aprovou a Lei Orçamentária de 2023, que prevê um salário mínimo de R$ 1.320.

O valor ainda precisa ser oficializado pelo Executivo, apesar de o presidente Lula ter defendido o aumento durante transição de governo.

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, faria um pronunciamento à imprensa nesta segunda-feira (9) sobre o reajuste do salário mínimo, mas o evento foi cancelado após a destruição provocada pelo ataque aos Três Poderes no domingo, em Brasília. Segundo a assessoria da pasta, não há nova data prevista para a agenda.

Por ora, porém, o valor aprovado pelo Congresso se sobrepõe à Medida Provisória do governo Bolsonaro, que cravava em R$ 1.302 o piso nacional, segundo o entendimento do especialista em contas públicas Murilo Viana.

Além de estabelecer um valor mínimo para os salários do país, o novo piso nacional também trará mudanças nas aposentadorias do INSS, no abono do PIS/Pasep e no seguro-desemprego, por exemplo. Veja:

Aposentadoria do INSS e BPC

O piso das aposentadorias do INSS segue o estabelecido pelo salário mínimo. Ou seja, a partir deste ano, aposentados, pensionistas e segurados do INSS podem passar a receber ao menos R$ 1.320.

O mesmo vale para quem recebe o BPC (Benefício de Prestação Continuada), um benefício assistencial pago para idosos a partir dos 65 anos ou pessoas com deficiência, desde que comprovem baixa renda.

O novo valor começa a ser depositado no dia 25 de janeiro e varia conforme o número final do benefício.

Abono do PIS/Pasep

O abono do PIS/Pasep é pago para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público por ao menos 30 dias no ano (consecutivos ou não) e recebeu remuneração mensal média de, no máximo, dois salários mínimos. Também é preciso estar inscrito no PIS ou Pasep há pelo menos cinco anos.

É possível receber até um salário mínimo. Ou seja, no ano que vem, o valor máximo pode ser de R$ 1.320. O cálculo do valor do benefício corresponde ao número de meses trabalhados no ano-base multiplicado por 1/12 do valor do salário mínimo vigente na data do pagamento.

No mês passado, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou o calendário deste ano. Para o pagamento de 2023, o ano-base de referência é o de 2021. Os pagamentos começam em 15 de fevereiro e serão divididos em seis lotes. Para o PIS, é considerado o mês de nascimento do trabalhador. No caso do Pasep, é considerado o dígito final do número de inscrição no programa.

Seguro-desemprego

Outra mudança trazida pela alteração do salário mínimo está no valor do seguro-desemprego. A parcela do benefício não pode ser inferior ao piso nacional, que pode ir a R$ 1.320 neste ano. Já o valor máximo do seguro-desemprego para 2023 ainda será anunciado.

Errata: Inicialmente, a reportagem afirmava que o salário mínimo seria de R$ 1.302. Porém, com a aprovação no Congresso do Orçamento para este ano, o valor mudou para R$ 1.320. O valor ainda precisar de oficialização do governo.

Fonte: CNN

Posts relacionados